sábado, 25 de dezembro de 2010

Enfim, Natal.



Natal tem cheiro, tem gosto, tem trilha sonora. Pelo menos pra mim. 
Cheiro de Pannetone, gosto de coca-cola e como trilha sonora, Jingle Bells. Familia reunida, aquelas tias e tios distantes parece que se ligam de novo, as risadas histéricas dos primos e as quedas do salto. Tudo isso é Natal. 
Época mágica, Presentes, Aniversário da Pessoa mais importante que já existiu, Noite sem hora pra chegar em casa, sem hora pra dormir.
 O que posso dizer disso tudo? Sinto falta da inocência de quando acreditava em Papai Noel, dos presentes embaixo da árvore ao invés de ser comprados pela internet... Sinto falta da simplicidade das coisas de antes, mas nem por isso deixo de adorar essa época estranha, mas mágica.  
Por fim:
MERRY CHRISTMAS!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Poema: Pedaços de mim - Martha Medeiros.


Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos

Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante

Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas

Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.


- - - - - -- - - --- - - - - - - -- - - 

Aviso:
Sei que tenho falhado com vocês, mas ando meio ocupada com uns projetos ai... portanto, tenham paciência, pois pelo menos uma vez por semana, eu irei postar aqui, ok? Beijos da Lari. 

sábado, 27 de novembro de 2010

Lembranças de tempestades passadas.


O dia se esvaia pelos últimos raios de sol. A escuridão prematura, por causa das nuvens carregas de chuva, a fazia suspirar. As primeiras gotas da chuva fria molharam seus ombros, ela gostava da sensação nostálgica que a chuva lhe trazia, era quase... feliz.
Aquele dia havia sido triste, ela ainda sentia o gosto de choro em sua garganta, enquanto os esparmos e soluços estavam, enfim, parando e deixando-a respirar sem dificuldades. Ela iria deixar uma fase para trás, um cenário da sua história, deixaria pessoas com quem viveu durante anos para seguir o seu objetivo. Olhando assim, até parece egoísmo, pensou ela  limpando as lágrimas quentes do rosto enquanto sentia as gotículas frias de chuva tomarem seu lugar.
Deus sabe o quando ela sentiria saudades dali. Das risadas, dos escorregões na grama molhada, nos personagens mal desenhados na lousa, das risadas e gracinhas durante as aulas, da batucada ritmada nas carteiras da música do queen, dos abraços de todos dali. Tudo, por mais entediante e estúpido que tenha sido, fizeram parte de sua história, de parte da sua infância e adolescência.
Agora, enquanto caminhava completamente ensopada pelas ruas de sua cidade, percebia que mesmo que ela tivesse que ir, aquilo sempre estaria dentro dela, sempre nela, grudado, inundando-a, como as lágrimas e a chuva faziam agora.

domingo, 14 de novembro de 2010

Ah, as perfeitinhas...

Perfeição não existe: Fato.
Quem se faz de todo perfeitinho, certozinho, deus imortal e etc, tem tanta inseguraça, baixa estima e carência do que a gente consigue entender. Sempre tem no meio em que você vive aquela pessoa que pensa não respirar o mesmo ar que você, que tem um rosto perfeito e corpo mais que perfeito. Entretanto, eu acabei de dizer que perfeição não existe, não é? Se aplica a isso também. Sabe o rostinho? Só maquiagem e corretivo! Sem isso, ao invés de princesa, é mais pra sapo. E o corpinho? Cintura fina, ceios fartos são nada mais e nada menos que cinta e bolo de meias no sutiã!
Aonde eu quero chegar com isso? É simples: Não invista TUDO da sua vida na aparência, pois lembre-se que o embrulho é sim importante mas e o conteúdo? A maioria das pessoas que realmente valem a pena não ficam próximo de você pela sua beleza e sim pela sua personalidade, seu jeito de ser e agir e sua inteligência.
Sem falar, também, que uma hora a máscara cai e a vergonha? Pois é, sendo você mesmo as pessoas certas vão estar ao seu lado e não fica aquela tensão de " e quando descobrirem?".

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

E agora?


Todo mundo têm amigos, todo mundo (pelo menos uma vez ) pensou estar ou esteve apaixonado por algum amigo. Às vezes o sentimento aflora e pode se transformar ou numa linda história de amor – com direito a folhas e folhas do diário só falando sobre ele ou uma música “de vocês” – ou pode se transformar em mágoa, desencontro de olhares, clima estranho e etc.
O coração acelera quando ele se aproxima, as mãos produzem um suor gélido indesejado e você pensa “quando ele ficou assim? Tão... sei lá”. Você não sabe definir os ciúmes que sente da fulaninha que não para de olhá-lo; não consegue deixar de suspirar quando pensa no tempo que não o vê... É, você está amando o seu amigo.
Depois vem o embate: Namoro ou amizade? Confusão de sentimentos ou amor? Melhor tê-lo como amigo do que tentar algo, e perder o amigo e o “namorado”? As perguntas são infinitas. A mente trabalha incansavelmente trazendo lembranças de vocês dois juntos, e a inspiração para textos melosos de amor não correspondido, ou qualquer sentimento que lembre o que você sente, borbulha no cérebro brigando para quem se realiza primeiro através das palavras  formadas pelos batuques do teclado.
Os filmes românticos parecem esfregar na sua cara a felicidade vivenciada pela mocinha que se apaixonou pelo rapaz e viveram felizes e loiros na Disney, mas você sabe exatamente que não é assim, não é? Quem não queria ter a segurança e a beleza da mocinha loira, que não só encanta o rapaz pelo qual se apaixona mais pelo menos mais um garoto que vai formar o triângulo amoroso? A sua situação é um tantinho mais complicada, pois se trata de seu amigo, o cara que viu você crescer ou participou de coisas da sua vida que queria ter deixado guardado no baú do esquecimento, ou no das lembranças eternas.
Quando se fala de amor ninguém sabe o que fazer – se deve dar conselhos ou quem sabe dizer “deixa rolar”, “vai que... né?” ? – A única coisa que todos concordam é: Tenha certeza absoluta do que está fazendo. Certeza desde o sentimento à iniciativa, pois lembre-se que o garoto te verá como uma amiga e, talvez – deus te livre disso – uma irmãzinha caçula, então... vá com calma! Escolha sempre o que fará bem para a amizade de vocês e para você, principalmente.
Cuide para que o seu amigo não seja o seu pior “e se...” ou o seu pior “ se eu não tivesse...”.

Esse texto foi escrito para a tag DE QUINZE EM QUINZE, do blog Depois dos quinze

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Aviso '-'

Olá meus incomuns! =D

Bem, eu tenho falhado com vocês nas ultimas semanas... Mas calma, eu explico. Eu estou num período do colégio que tem feira da cultura, feira de inglês, trabalhos, provas... enfim, to sufocada! Sem falar que meu pai fez uma "grevezinha" de net, e fiquei uma semana e meia sem minha beldade.
Whatever, eu ando muito sem tempo e com uma queda de inspiração trágica D: por isso, não sei quando eu voltarei a postar e... espero que logo!
Ah, cês podem vê ai em baixo um post sobre Eleição que foi postado para um concurso do DDQ e eu queria muito que vocês dessem suas opiniões, ok?
Beijinhos, espero voltar logo. =*

domingo, 24 de outubro de 2010

Pela ordem e pelo progresso...


Panfletos, quarenta minutos da programação televisiva, acusações diretas, fraudes e dossiês... Enfim, eleição. Candidatos, musiquinhas com incentivo de voto e coisas que, depois de alguns dias passada a eleição, ninguém quer mais ouvir.
        Não entendo como as pessoas conseguem ter fôlego para brigar defendendo candidatos, perdendo tempo tentando convencer as outras pessoas da sua idéia se no final, cada um vota em quem acha conveniente! O voto não é secreto? Por que todos tentam plantar na mente alheia a própria opinião?!
         A questão é que, no final, as pessoas terão de aceitar o que a maioria escolheu, mesmo não concordado, o que acaba fazendo se perder todo o sentido nas brigas e baixarias vistas por todo o país. Opressão a pensamentos e manifestações públicas já saiu de época, já se foi a ditadura e pronto.
Não vou tomar partido de nenhum dos candidatos, até porque não sei quem seria melhor para o Brasil, mas espero que o país vote em quem acha que deve, sem venda de votos ou subornos! Dê valor ao direito de voto livre - direito pelo qual, no passado, nosso povo tanto brigou.
Vote por você mesmo, por seu país, pela sua cidadania! 
Esse texto foi escrito para a tag DE QUINZE EM QUINZE, do blog Depois dos quinze


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

When you are fifteen... lalalaala (8)

Bem, hoje eu não fiz um lindo texto, nem há qualquer coisa de minha autoria nesse post, mas é uma música que eu acho que diz bem o que muitas meninas passam na "idade do brilho", digamos assim. Então, como me identifiquei com a letra, imagino que muitas outras se identifiquem também. Bem, eis Taylor Swift em Fifteen.


Fifteen ( Quinze)


You take a deep breath   ( Você toma uma respiração profunda)
And you walk through the doors (E você caminha através das portas)
It's the morning of your very first day (É a manhã do seu primeiro dia)
You say hi to your friends (Você diz oi para seus amigos)
You ain't seen in a while ( Que você não vê há um tempo )
Try and stay out of everybody's way (E tenta ficar fora do caminho de todos)
It's your freshman year ( É seu primeiro ano )
And you're gonna be here (E você vai estar aqui)
For the next four years in this town (Pelos próximos quatro anos nessa cidade)
Hoping one of those senior boys (Esperando que um dos meninos mais velhos)
Will wink at you and say (Pisque para você e diga)
"You know I haven't seen you around before" ("Você sabe que eu não te vi por aqui antes")
'Cause when you're fifteen and (Porque quando você tem quinze anos)
Somebody tells you that love you  (E alguém diz que te ama)
You're gonna believe than (Você vai acreditar neles)
And when you're fifteen feeling like ( E quando você está se sentindo com quinze anos)
There's nothing to figure out (Não há nada para descobrir)

But count to ten, take it in (Mas conte até dez, tome-a em)
This is life before you know (Mas conte até dez, tome-a em)
Who you're gonna be (Quem você vai ser)
Fifteen (Quinze anos) 

You sit in a class (Você senta em uma classe)
Next to a redhead named Abgail (Ao lado de uma ruiva chamada Abigail)
And soon enough you're best friends (E logo vocês são melhores amigas)

Laughing at the other girls (Rindo das outras garotas)
Who think they're so cool (Que pensam que são tão legais)
We'll be out of here as soon as we can (Nós estaremos fora daqui o mais breve possível)
And then you're on your very first date (E então você está no seu primeiro encontro)
And he's got a car and you're feeling like flying (E ele tem um carro e você sente que está voando)

And your mom is waiting up (E sua mãe está te esperando)
And you're thinking he's the one (E você pensando que ele é o único)
And you're dancing 'round your room(E você dança no seu quarto)
When the night ends (Quando a noite termina)
When the night ends(Quando a noite termina)

'Cause when you're fifteen and (Porque quando você tem quinze anos)
Somebody tells you that love you (e alguém disse que te ama)
You're gonna believe than ( Você vai acreditar neles)

When you're fifteen (Quando você tem quinze anos)
And your first kiss ( E o seu primeiro beijo)
Makes you head spin round but ( Faz-lhe a cabeça girar, mas)

In your life you'll do things greater (Em sua vida você fará coisas maiores)
Than dating the boy on the football team (Que namorar um menino do time de futebol)
I didn't know it at fifteen  (Eu não sabia disso com quinze)
When all you wanted (Quando tudo que você queria)
Was to be wanted ( Era para ter tido)
Wish you could go back ( Você deseja poder voltar atrás)
And tell yourself what you know now ( E falar para si mesma o que você sabe agora)

Back then I swore (Naquela época eu jurei)
I was gonna marry him someday (Eu ia casar com ele um dia)
But I realized some bigger dreams of mine (Mas realizei alguns sonhos maiores na vida)
And Abigail gave everything she had (E Abigail deu tudo que tinha)
To a boy who changed his mind (Para um menino que mudou de ideia)
We both cried (Nós duas choramos)

'Cause when you're fifteen (Porque quando você tem quinze anos)
And somebody tells you they love you ( E alguém diz que te ama)
You're gonna believe them ( Você vai acreditar neles.)

And when you're fifteen ( E quando você tem quinze anos)
Don't forget to look before you fall ( Não se esqueça de olhar antes de cair)
I've found time can heal most anything ( Eu tenho encontrado tempo que pode curar quase tudo)

And you just might find who you're supposed to be ( E você só pode achar quem pode ser)
I didn't know who I was supposed to be ( Eu não sabia quem eu podia ser)
At fifteen ( Aos quinze)

Your very first day ( Seu primeiro dia)
Take a deep breath, girl (Respire fundo, garota)
Take a deep breath as you walk through the doors ( Espire fundo enquanto você anda através das portas)
-------***-------
Eu acho essa música a que mais chega perto da realidade do que realmente é a "idade do brilho".
Bem... link do vídeo que, graças ao novo modelo do blogger, não tive como colocar.
Beijos da Lari, e até a próxima =)

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ela buscou.


Ela corria, sem parar, sem olhar para trás, sem querer ver o que a esperava pela frente. Ela buscava entender o que se passava dentro dela... era uma corrida por seu descobrimento. Mesmo não sabendo o que tinha pela frente, e sabendo exatamente tudo o que tinha deixado para trás, ela não diminuia a velocidade, pois alguma coisa dentro dela - algo que, às vezes, classificam como intuição - a dizia que mesmo com tudo o que ela tinha deixado para trás, tudo o que ela podia ter tido se não tivesse saido em busca de si, viria depois, e a traria muito mais contetamento.
No final da busca, ela não tinha se realizado totalmente, mas dizem por ai que ela continuou buscando e teve, para todos os efeitos, um final feliz.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Coisas que eu sei: Calculistas

Olá meus amados incomuns, olha o nosso querido quadro por aqui de novo, não é?
Pois bem, vamos ao nosso assunto de hoje.
                                                                                            

Não consigo ver nem imaginar como uma pessoa consegue planejar cada passo que dá, o que falar, como agir... é algo que realmente me assusta, sério.
Quer dizer, imagine que você esteja sendo estudado e monitorado em cada movimento seu, e a pessoa que você gosta e ajuda está, friamente, calculando e maquinando todos os passos pra ferrar com a sua vida! É claro que é brilhante e meio genial... mas também é quase psicopata!
Você confia, conta segredos, ajuda e se importa com a pessoa e de repente... BAH! Você se vê ao lado de um aprendiz de psicopata! Não sei exatamente quanto tempo esse "joguinho" dura - acho que depende de pessoa pra pessoa - mas se existe justiça nessa Terra, dura muito pouco e é descoberto.
Não sei com quem você anda, quem pode estar ao seu lado lendo isto neste momento, ou muito menos como se comportam, mas tome cuidado, porque vai que... BAH, né?
Não tenho uma solução concreta, mas tenho uma ou duas dicas pra se previnir disso: aprenda a nunca esperar ou se importar demais com o que os outros te fazem ou como têm ações erradas, pois - acredite se quiser - essas ações erradas vão tomando dimensões e a(o) "mini psicopada" vai te envolvendo na sua lábia, e você precisa estar preparado pra tudo e não sentir o que eu, tão despreparada e ingênua, senti.

Beijinhos à vocês, e até o próximo 'Coisas que eu sei'.

happy birthday my best

(final de 2007)


São sete anos, sete anos que nos conhecemos, sete anos que conversamos, desde as mais idiotas coisas até as mais sérias ao nosso ponto de vista. Sete anos que brigamos (raras vezes -qn), e não sete anos que estudamos juntas, sete anos que descobrimos sermos irmãs gêmeas de alma - q . 

Mas começamos a virar melhores amigas MESMO a quase cinco anos.

E apesar de todas as brigas, acho e espero que nada afete nossa amizade, se não afetou até agora creio que nada vai afetar, pelo menos é assim que espero. Amizade forever mesmo! q
E um dia vamos tomar um chá da tarde na varanda enquanto veremos nossos netos correrem pelo jardim atrás de borboletas (ok, isso foi muito fim de livro -rs).

O problema, é que mesmo te odiando as vezes, eu não consigo odiar completamente, e é horrível não ter pra quem contar as novidades quando surgem, quando não estais online no msn, ou quando estamos brigadas "definitivamente".

Eu sei que erro em muitas coisas, você também.. não somos perfeitas, ninguém é! E a gente odeia perfeição não é verdade? -t .*-*

Não sei o que falar, só que te desejo tudo de bom, as melhores coisas. E espero que ano que vem a gente se una novamente, tanto em uma escola quanto na outra; 

As vezes não tens noção do quanto me sinto excluída, como te falei, consigo perceber coisas nos mínimos detalhes, e esses mínimos detalhes acabam comigo.

Espero que nunca me deixes, e nunca me esqueça!

(2010)



draga besta = bfforever 
Feliz aniversário abigan! *o*

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Idade do brilho


A idade de usar sapatos de salto alto chegou, a hora de ser "apresentada" à sociedade também e ela não se sente preparada para encarar as espectativas que todos alimentam. Pra quê tanta pressão? Essa não devia ser a fase de poder ser "livre"? Digam- na onde se assina o contrato de liberdade, pois ela irá buscá-lo. 
Por que todos esperam maturidade vindo dela? Por que todos cobram  compromisso, quando tudo o que ela quer é ser livre de tudo? Essa, por um acaso, não seria a "idade do brilho"?
Não, não é nenhuma idade especial, não há porque tanta pressão, afinal são só 15 anos.

sábado, 2 de outubro de 2010

Nunca espere



Nunca espere demais dos outros
pois eles vão lhe decepcionar.
Nunca espere que os outros tenham consideração
como você tem por eles,
pois eles não terão.
Nunca espere que os outros confiem em você como você confia neles,
pois eles não confiaram.
Nunca espere uma ação como a sua, vinda de qualquer outra pessoa,
pois nunca agirão da forma que você esperava.
Nunca espere compreensão.
Nunca espere apoio
Nunca espere conforto
Enfim, nunca espere sentimentos  
de pessoas que não sabem sentir.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A criança interior.


Ela olhava para a chuva que lavava a janela, eu nunca a tinha visto assim. Ela nunca fora tão... madura quanto agora, pois sabia que estava prestes a desaparecer de mim. Os olhinhos tristes vagavam do vazio úmido até mim, e de mim para uma longa estrada de terra, que agora estava repleta de lama: O futuro.
A criança, a menina inocente e igênua, que ainda restava em mim sabia que tinha que ir embora, mas não queria, nem eu queria que ela fosse. Mas estava na hora de deixar que o futuro tomasse conta da minha mente, de todo o meu eu, pois ele aguardava a espreita, tentando pular sobre mim, porém eu sempre o ignorava e infelizmente tinha chegado a hora de incará-lo.
A menina olhou mais uma vez para mim e, com um sorriso fraco, se foi na chuva até a estrada lamacenta, onde a vi desaparecer.  

domingo, 26 de setembro de 2010

Um conselho sobre o nervosismo.


Sabe aquela sensação de gelado no estômago? Aquela sensação que as vezes nos tira do sério e nos faz ficar a beira de um ataque de nervos? Pois é, o nervosismo. Sensação estranha, nos aterroriza, e nos faz imaginar as probabilidades que podem escurecer o futuro próximo, as vezes é até o motivo do nervosismo.  
Não sei se tem cura e muito menos não sei se deveria ter, pois são essas sensações - tristeza, amor, ódio, nervoso, vergonha, timidez, enfim - que nos faz nos sentir vivos e humanos, humanos esses que são fálios e imperfeitos, e como todo mundo, ficam nervosos e com medo de errar e fazer besteiras, mas pense assim: Do mesmo jeito que eu posso cair, tropeçar, rolar escada a baixo, aquela menina perfeita e que acha que está em outro mundo e acima dos pobres mortais, pode.
Nunca deixe que o seu nervosismo te atrapalhe, pois você pode perder muitas coisas por causa disso! Confie em si mesmo, pois tudo depende só de você.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Mudanças.


Crescer dá medo.Tantas responsabilidades, escolhas a serem feitas, decisões a serem tomadas, caminhos a serem seguidos..
Ser criança era mais fácil.
(Autor desconhecido)

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Novidade: Coisas que eu sei | Abuso de autoridade... blah!

Bem, eu iria mudar o nome do blog, mas as pessoas começaram a dizer que não por isso ou por aquilo... e como eu também não queria me despedir do meu 'nome original', então resolvi fazer o "Coisas que eu sei" apenas um 'quadro' do blog, onde eu falarei minhas opiniões sobre alguns assuntos que provocam revolta, a minha principalmente. Então, toda a vez que você ver essa foto ( logo abaixo) é o nosso querido quadro.
Aviso dado? ótimo, vamos ao post. 
 -------------***-------------
 Abuso de autoridade... blah! 


O que mais me estressa vindo de qualquer pessoa é o abuso de autoridade. Essa semana, na minha escola, a inspetora, ou seja lá o cargo dela, agiu de forma que faria qualquer adolescente sentir-se revoltado: Sem razão alguma, simplesmente pra mostrar que manda - imagino - ela confiscou o UNO (jogo de cartas coloridas e sequência numérica) sendo que, não estava atrapalhando ninguém pois muitos alunos estavam fora de sala, e nem tinha começado a aula - pois o professor estava em reunião.
Um amigo meu, que estava jogando o jogo, discutio com a inspetora, sob o silêncio mortal de todos. Quando a mulher saiu bufando da sala, ouve um barulho estrondoso: Uma salva de palmas para o "revoltado", como foi taxado. 
Não foi a primeira vez que isso acontece, não vindo apenas dessa inspetora, mas de outras também. Nos tratam como crianças idiotas e indignas de opinião ou voz. Não sei o porquê de tanta sede de poder ou, talvez, de atenção ou até de respeito - coisa que se conquista e não se empõe. Quantas vezes, qualquer um de nós já quis discutir mas foi obrigado a baixar a cabeça? Não sei você, querido incomum que está lendo isso agora, mas uma frase que me tira do sério é a popular ' Cala a boca!'.
 Talvez a solução para esse abuso seja fazer o que meu amigo fez, se revoltar e mostrar que não, não vamos baixar nossa cabeça e que sim, nós temos vez e voz. Talvez te achem louca(o) mas lembre-se que todos os gênios e revolucionários da história foram taxados de loucos. 

Até outro 'Coisas que eu sei'!









domingo, 29 de agosto de 2010

Vergonha


Meu rosto quente; minhas mãos frias; gotas de suor gélidas...
Vários pares de olhos me olhando. 
Eu engulo seco,
minha garganta arranha em protesto. 

Vergonha de quê? 
De quem?
Não sei, é simplesmente vontade de sair correndo.
Medo de errar,
escorregar, 
o que for...

Sensação terrivel,
Fraqueza nas pernas, 
não me escuto mais, 
só sinto os meus lábios se movendo depressa,
mas sem certeza do que sai deles. 

Não sei quando começa, 
nem quando termina essa sensação, 
mas o único lugar em que meus desejos e palavras saiem soltos
é no papel.

Com mão firme,
o barulho do batuque ritmado do teclado
me transforma...
me faz crer que mesmo compondo poemas sem rima, 
vale a pena não ter vergonha.
Pois alguém, do lado de lá da tela,
quer ler o que sai para o papel 
dessa mente desavergonhada.

(Larissa Cruz)

--------******--------
Olá leitores!
Não voltei ainda, infelizmente... estou no notebook da minha tia, mas não tenho acesso sempre aqui, então é provavel que fiquem sem meus posts por mais um tempinho... prometo que sempre que puder e tiver acesso, posto aqui, ok?  
Meu pc ainda está "possuido" e não sei se tem jeito... por isso, paciência e não me abandonem!
Beijos, Lari.

sábado, 21 de agosto de 2010

The cold

    
A sensação estranha e ao mesmo tempo conhecida estava ficando desconcertante, como se nunca fosse chegar a hora de "não, agora está bom... quem sabe amanhã de novo?", a diversão perdeu a graça. Como ela queria poder bater palmas e fazer o ar parar de bater gélido em face, mas ele não pára. De repente, o calor começara a lhe parecer atraente. Afinal, de que vale o frio sem um abraço esmagador para se aquecer? Ela está sentindo falta. 


-------------***-------------- 
Atenção:
Meus queridos, eu não estou em casa e por isso não tenho postado, e é possível que não poste por algum tempinho, já que meu computador fez o favor de se revoltar e não prestar (conforme relatos de meu irmão, ainda não confirmados), portanto eu não tenho previsões de postagens por enquanto e se o espírito maligno que persiste em ficar no meu pc continuar, não tenho acesso a outro e é o UG ficará meio abandonado... então, sejam pacientes e não me abandonem, por favor! Tem 68, 69 com esse aqui, posts então tem coisas demais pra ler por aqui... ok?
Amo vocês, e obrigada pelos poucos mas fofos comentários. 
Beijos, Lari.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Eu e ela



Sempre fora assim, uma apoiando a outra em todos os momentos, nos bons e ruins, sempre juntas. Ela é minha preferida, meu 'diário ambulante', a melhor. Defendo-a e ela me defende, mexeu com ela é mexer comigo e vice versa. Quase gêmeas, não de aparência mas de pensamento. Ela me entende como ninguém, e eu a entendo. 
Agora, juntas em um outro estado, parece ser um sonho! Como uma coisa que era tão pesada, tão desagradável com ela se torna extremamente divertido? Graças a ela, não irei fazer apenas um tratamento médico e sim, um tratamento no meu coração

--------***--------
Obrigada garota, por existir e me fazer sorrir com suas palhaçadas.
 te amo! 
Para a melhor, a minha melhor, Paula Roberta Cavalcante, PR  ♥

Nunca se preocupe demais...


...e nem tente voltar atrás. Siga as instruções de uma vida sem saudade, assim é melhor. Se o chão se abrir e você sentir que já não tem mais forças, confie e acredite sempre um pouco mais. Se existe o caos e a dor, também existe a fé e a esperança. Não é felicidade, amor, carinho e sim viver e aceitar que pra cada dia ou pensamento que ferir seu coração, vai existir a recompensa.


(Autor desconhecido)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Desculpe meu bem, mas extrovertida é diferente de vulgar.


Eu não sei onde esse mundo vai parar, sério. Eu estava caminhando com uma amiga minha e comentaram comigo um acontecimento bem... digamos, vulgar. Daí algo começou a martelar na minha cabeça, pois eu já tinha  perguntado algumas vezes o porquê de algumas meninas agirem de maneira vulgar; como não acharam resposta melhor - imagino - responderam-me que não eram vulgares e sim, 'extrovertidas'. 
Acho-me no dever de colocar as coisas em seu devido lugar na mente destas garotas. Segundo o dicionário, extrovertido é " Que ou quem tem tendência de dirigir para o exterior a sua atenção e as suas emoções.
adj."; Então, minha querida, o fato de você sair por ai se vulgarizando sem limites não se encaixa em 'extrovertido'. Pois bem, sinto informar mas isso é visto de maneira nada positiva pelos garotos e garotas, pela sociedade e por todos que têm um pouquinho de noção. Os garotos passam a ti ver como 'fácil' ou o típico 'apenas por uma noite' e isso sinceramente é algo deprimente, pois você pode acabar viuva por,pelo menos, sete vezes e aos oitenta anos sozinha e com noventa e sete gatos
Meninas, talvez seja um jeito de chamar atenção mas... na boa, ninguém quer levar a fama de 'vulgar' né? 

domingo, 8 de agosto de 2010

Melhor diferente, do que comum.



Definição de comum? Facilmente encontrado, acontecimento corriqueiro... 
Definição de diferente? Raro, de difícil  rotina...
Me orgulho de me enquadrar (pelo menos, eu acho) no 'diferente'. Comum? se der alguns passos, se acha uma 'gêmea' de você mesma! Não entendo a faixa de 'garota normal' com ar positivo, e sim com negativismo, pois existem normais as toneladas por ai! Não se destaca, não chama a atenção... apenas mais uma? Isso nunca se enquadrou em mim, nunca me definiu. 
Me chamem de louca, ou 'sem noção' mas eu odeio o termo 'comum'. Comum demais se torna normal, normal demais se torna tedioso? rotineiro? sim, os dois.
Não procure entender-me, interpretar-me ou qualquer coisa, pois sempre fará errado. 

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Rubra, simplesmente rubra.



Os elogios a deixava rubra. A mente parecia entorpecida com as palavras, ela não sabia como agradecê-los, como devolve-los, ela simplesmente ficava rubra. O sorriso envergonhado e os olhos esbugalhados de surpresa, a fazia ficar imóvel e sem uma palavra defronte as palavras do garoto. 
O que estaria ele aprontando? Ela sinceramente não fazia idéia, mas temia pelos sentimentos dele, porque se fosse o que ela estava pensando, o sentimento não era mais mútuo, ela partiria seu coração. Infelizmente ela iria ter que quebra-lo, não por maldade mas para poupa-lo de dor maior depois. 

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Para uma amiga.


Talvez todos os conselhos não tenham funcionado para você, talvez você precisasse passar por isso. Os 'eu te disse' não fazem mais sentido agora,  fazem? agora você pode ver em quem se tornou. Eras uma garota assustada, uma eterna garota, não adianta chorar agora, adianta? Mas se quiser chorar venha, pegue minha mão e chore, pois vou estar aqui por todo o tempo que precisar.
 Adianta dizer que vai passar? que ele é só mais um em sua vida e que com o tempo, não passará de uma vaga lembrança? Sim, adianta, pois é isso que ele é. 
Esbraveje, use seu vasto vocabulário com ele, e depois vire as costas e saia sem descer do salto; vale a pena.Se quiser me ligar, ligue ; ou se preferir vir em minha casa, venha; Não se esqueça, amiga, que estarei aqui pois afinal, não é para isso que as amigas servem?

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Cadê, meu deus, cadê?


Cadê aquela inocência infantil, meu deus?  Agora estão todos moderninhos, com aparelhos tecnológicos na mão e na outra a mamadeira. Sei que é meio antiquado dizer ' No meu tempo...' mas vou usar esse termo; No meu tempo, ninguém queria saber de outra coisa a não ser brincar de bonecas, carrinhos, pique... agora, trocam tudo por um bom celular, e andam com cinquenta reais no bolso pra comprar balas. 
Cadê os jogos? As bonecas? As risadinhas de criança? Cadê a infância, meu deus?!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Mente estudante.



Não quero voltar e, ao mesmo tempo, sinto-me ansiosa pela volta. As pessoas, o abre e fecha de portas, a gritaria, os cutucões, as ordens de ' vão pra sala' que são chatas. O cheiro de páginas novas, as manchas de caneta nos dedos... tudo tem sabor de rotina. 
No entanto, entre essa rotina claustrofóbica  e essa que estou vivendo agora, prefiro a velha rotina. Aquela em que eu aprontava e saia correndo pra fugir, que eu pulava no pescoço das amigas entre gritinhos de alegria e abraços apertados. Enfim, a velha rotina está de volta e a euforia aumenta, a saudade aperta e daqui a uma semana o pedido de férias voltará a ficar em minha mente, mas aliás não é assim a mente estudante? 

---------------------------xxxx-----------------------------
Avisos:
Bem, minhas aulas amanhã começam e eu não sei se poderei entrar por aqui todos os dias, e talvez os posts não sejam tão rotineiros, mas espero que compreendam.
 beijos, Lari.

domingo, 1 de agosto de 2010

Sem título, com sentimento



Sou confusão e gritaria, e ao mesmo tempo, todo o silêncio do mundo. Sou a ansiedade de um desejo sendo realizado, e o medo incontrolável de tudo dar errado – de novo. Sou a preguiça de um domingo a tarde, e a euforia de uma sexta a noite. Sou a vontade de abrir a geladeira, e angustia de ter engordado. Sou um doce sorriso, e uma lágrima quase salgada.  Sou uma canção de amor cantada por alguém desafinado.  Consegue ouvir?

Sou o que sou agora mas às vezes me pego pensando no passado, e vejo o quanto mudei. O quanto eu fui, e o quanto dexei de ser. E vejo nas marcas deixadas pela parede, tudo que hoje mais odeio em alguém. O destino me deixou do avesso, e agora não sei se é mesmo eu quem estou errada. Deve ser.

Às vezes me dá umas vontades loucas, de voltar meu primeiro beijo, e correr o mais rápido possível. O que foi? Eu ainda não estava pronta. De voltar na primeira vez que vi meu primeiro amor, e dar um tapa daqueles de filme. O que foi? Ele me fez chorar demais. Voltar naquele Adeus, e abraçar mais forte. O que foi? Aquele abraço me fez falta por muitos anos.
É uma pena, o tempo passou.

Infelizmente ou felizmente, de todas os desejos que tenho, o que mais me agrada é ficar aqui lembrando de tudo. Cansei de engolir o amor, e sempre engasgar depois. Hoje sou uma vegetariana, que apenas observa os animais pela janela. De longe. E se quer saber? Eles ficam melhor assim.

Bruna Vieira - Depois dos quinze.

sábado, 31 de julho de 2010

Nossa vã inteligência.

Ninguém sabe exatamente o porquê de estarmos aqui, de vivermos ou como existimos. Vários gênios já tentaram provar como chegamos aqui; já tentaram saber de onde evoluímos: macacos ou seres aquáticos? 
Já tentaram saber se existem vidas em outros planetas, o porque de sermos a única raça que pode raciocinar... 
Tudo sem respostas concretas, tudo tão vão... tudo pela falta de nossa vã inteligência. 

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Algumas verdades


 Chamar alguém de feio,não te deixa mais bonito.
 Ficar sem comer não te deixa um palito. 
 Excluir uma pessoa não te torna mais popular, não são as marcas que vão te rotular.
Chamar alguém de gordo não te emagrece, dizer que uma pessoa é triste não traz felicidade. 
Falar que alguém é fraco não te fortalece, dizer que uma pessoa é metida não te traz a humildade. 
Falar que alguém é insignificante não te engrandece, dizer que uma pessoa é falsa não te leva à verdade. 
Dinheiro não compra felicidade. 
Conhecer muita gente não é o mesmo que ter amigos, ser famoso é diferente de ser querido, sexy não é o mesmo que vulgar, atração é diferente de amar.

Autor desconhecido